Sábado, 25 de Novembro de 2017 | você está em »principal»Blogs»O Quinto Poder
Publicado em 02/11/2017 às 17h15
Febre amarela em Jacareí


JOSÉ LUIZ BEDNARSKI

O Brasil anda em círculos. Progresso e retrocesso sucedem-se sequencialmente em todas as áreas. Em Jacareí, a pasta municipal da saúde melhorou bastante após o burgomestre destronar a dinastia do proletariado e trocar meros palpiteiros de plantão por verdadeiras doutoras de plantão. Entretanto, eis que ronda o fantasma da febre amarela, a ameaçar a transitória alegria do pobre no SUS.

Trata-se de doença perigosíssima. Prolifera em ambiente urbano ou selvagem. Matou mais de 260 brasileiros apenas nos últimos nove meses. Os sintomas ambíguos confundem-na com uma plêiade doutras moléstias e o diagnóstico tardio pode ser inócuo.

Na Mata Atlântica vizinha a Jacareí, a febre amarela dizima macacos. Para evitar contágio à população humana, a prefeitura da Capital fechou o acesso ao Horto Florestal e aos parques da Cantareira e Anhanguera. Há registros recentes de morte de símios em Jundiaí, saguis em Atibaia, bugios em Bragança e carlequins em Gonçalves.

As autoridades sanitárias joseenses estão atentas à marcha epidêmica e oferecem antídoto em todas as unidades básicas de saúde da cidade. Em proporção mais modesta, a municipalidade afonsina, que também não dorme no ponto, vacina os súditos no Centro de Saúde, de segunda a sexta-feira, das sete às dezessete horas. O endereço é Rua Purus, 79.

Para a Organização Mundial de Saúde, a vacinação é vitalícia. Quem tomou uma vez não precisa de reforço. Já as autoridades brasileiras, preocupadas com as ciladas dos trópicos, recomendam uma segunda dose após a primeira década de validade. Certeza mesmo é não existir mais perfil de risco, em qualquer localidade a pessoa está sujeita a contrair febre amarela.

A prevenção depende basicamente da medicação apontada. Como alternativa, a propaganda estatal recomenda combater o mosquito transmissor na selva de pedra, o dengoso (Aedes aegypti). Porém, sabe-se que exterminar inseto em vasto continente tropical é tarefa hercúlea, para não dizer impossível. Vale mais pelos benefícios gerais da limpeza, cá entre nós.

Esperam-se atuação cuidadosa, monitoramento atento, planejamento estatístico, estudo epidemiológico e atitude necessária por parte de nossas autoridades sanitárias. Os habitantes de Jacareí confiam nelas e não merecem morrer desamparados como primatas silvícolas.

Publicidade
Compartilhe

Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

25 NOV
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
O Quinto Poder

Coluna assinada pelo Promotor de Justiça da Cidadania, José Luiz Bednarski. Uma abordagem apartidária, com discussão aberta dos assuntos de interesse geral; o amadurecimento paulatino da cidadania, a força da população em diálogo com órgãos independentes representativos, como MP, Defensoria Pública e outras instituições criadas ou fortalecidas a partir daConstituição de 1988.


E-mail do autor: joseluizbednarski@gmail.com
Arquivo
08/04/2017
A Prefeitura voltou a permitir o estacionamento rotativo pago, das 9h às 16h, na rua Barão de Jacareí. Vc concorda com a medida?
  • 46.1%
  • 40.7%
  • 7%
  • 6.2%
06/02/2017
Qual a sua opinião sobre a qualidade do serviços prestados pelo SAAE em Jacareí?
  • 34.1%
  • 31.9%
  • 24.1%
  • 9.9%
Logos e Certificações: