Sábado, 21 de Outubro de 2017 | você está em »principal»Notícias»Editorial
Publicado em 01/09/2017 às 17h48
A roleta russa da CPI da Pró-Lar

A Redação / Diário de Jacareí

Mesmo com o ambiente pesado desta fase final, a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Câmara Municipal que investiga irregularidades na Fundação Pró-Lar de Jacareí ganhou, no conjunto dos depoimentos, uma perspectiva poética.

Foi na terça-feira (29) quando se agravou a troca de acusações, que já vinha desde o início entre os inquiridos, que lembrou versos de “Quadrilha da sujeira” do poeta Ricardo Azevedo: “João joga um palitinho de sorvete na rua de Teresa que joga uma latinha de refrigerante na rua de Raimundo que joga um saquinho plástico na rua de Joaquim que joga uma garrafinha velha na rua de Lili...”

O penúltimo da série a se apresentar à CPI foi Christian Petterson Antunes Lemos que era, em 2016, diretor-financeiro da Pró-Lar, período em que a contabilidade registra um aumento brutal nos gastos com capina e limpeza de vários terrenos da entidade (veja matéria nesta edição). O presidente de então era José Rubens de Souza, que fora ouvido 15 dias antes e jogara para cima de Christian a responsabilidade de checar as contratações, cujo prejuízo aos cofres do município excedeu a R$ 1,2 milhão.

Assim, José Rubens jogou a culpa em Christian que jogou a culpa na funcionária que jogou de volta a culpa em Christian que mudou a pontaria e jogou a culpa no então prefeito Hamilton Mota que se sabe lá em quem vai jogar a culpa, uma vez que o depoimento do ex-prefeito está marcado para esta terça-feira (5).

Não resta dúvida para os membros da CEI, para o promotor de Justiça que acompanha os trabalhos (Dr. José Luiz Bednarski), para o público que acompanha o desenrolar dos acontecimentos, para a direção de transparência da prefeitura, e possivelmente nem para os acusados, que sumiu “o dinheiro que estava ali”. A preocupação evidente é o nome do mentor que será apontado quando parar a roleta do azar chamada ‘relatório da CPI’; por enquanto, ninguém sabia de nada.
Já que se trata de terreno com mato, pelo menos a literatura jacareiense ganhou um poeminha típico.

É a nossa opinião.

Publicidade
Compartilhe

Relacionadas
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

21 OUT
Publicidade
Notícias

Blogs
08/04/2017
A Prefeitura voltou a permitir o estacionamento rotativo pago, das 9h às 16h, na rua Barão de Jacareí. Vc concorda com a medida?
  • 46.1%
  • 40.7%
  • 7%
  • 6.2%
06/02/2017
Qual a sua opinião sobre a qualidade do serviços prestados pelo SAAE em Jacareí?
  • 34.1%
  • 31.9%
  • 24.1%
  • 9.9%
Logos e Certificações: