Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017 | você está em »principal»Notícias»Editorial
Publicado em 17/11/2017 às 15h49
Intimidação no grito não assusta vereadores
A Redação / Diário de Jacareí

Que nos perdoem os felinos pela má comparação. Meia dúzia de ‘gatos pingados’ compareceu à sessão de Câmara de quinta-feira (16) com a finalidade de impor aos vereadores, pelo medo, a aprovação de um projeto que nem mesmo os manifestantes pareciam saber do que se tratava. A estratégia foi a de sempre: intimidação.

Deram ‘com os burros n’água’, com o perdão, agora aos muares. Tudo ficaria debitado a uma grosseira falta de educação não fosse a infame crueldade carregada de ódio discriminatório praticada contra a presidente do Legislativo, Lucimar Ponciano (PSDB) e a todos os afros descendentes que ela representa. Quando a trupe (perdoem-nos os artistas circenses) viu que a votação não seria como desejavam, um deles apelou ‘vomitando’ um dito racista que não repetiremos aqui para não divulgar covardias.

Está tudo gravado em filme na internet (www.jacarei.sp.leg.br/tv-camara-jacarei), mencionado pela própria Lucimar, que chora ao replicar a fala criminosa. O projeto foi rejeitado por sete votos, contra dois e três abstenções; a presidente não vota, mas declarou-se pela rejeição. 

Tudo se resolveria democraticamente, entretanto, se houvesse bom senso. O projeto pretendia transformar o ‘Dia Nacional da Consciência Negra’ (20 de novembro), em feriado municipal, como em alguns municípios. Ocorre que desde 1995 os feriados municipais não podem exceder a quatro. Jacareí já esgotou a possibilidade: 3 de abril, quando de vila passou a cidade; 8 de dezembro, dedicado à padroeira, Nossa Senhora da Conceição, Corpus Christi, data móvel, e Sexta-feira Santa. Paciência, mas a data existe para nós, sem ser feriado.

Aliás, esse projeto nem poderia ter sido posto em votação. Não por qualquer preconceito, mas por cumprimento da lei. Se votado e aprovado, o prefeito teria de vetá-lo. Não houve, motivo para existência dele. Se foi para aprová-lo ‘no grito’, intimidando os vereadores, não intimidou, pelo menos aos quatro homens e às três mulheres que enfrentaram ‘cara-a-cara’ os truculentos manifestantes e votaram contra.

O projeto, se foi para impressionar o público, o desconhecimento legislativo impressionou mais; negativamente, é claro.  A repugnante manifestação nas galerias, esta sim racista de primeiro grau, será resolvida na Justiça.

É a nossa opinião.

Publicidade
Compartilhe

Relacionadas
Comentários (2)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

Rafael   3 semanas atrás
Finalmente vi as imagens no g1. Claramente eh um grupo de "amigos sindicalistas" devidamente fardado de vermelho. A identificacao do elemnto eh muito facil, pois como disse, sao amiguinhos.Minha sugestao eh ki o MP processe e pe'ca uma multa astronomica ou a identificacao por parte desse ...
Rafael   3 semanas atrás
elemento integrante deste sindicato.A conduta foi indiviudal, mas se os "cumpanheiros" querem o proteger, que sofram as conseque^ncias todos juntos.
12 DEZ
Publicidade
Notícias

Blogs
08/04/2017
A Prefeitura voltou a permitir o estacionamento rotativo pago, das 9h às 16h, na rua Barão de Jacareí. Vc concorda com a medida?
  • 46.1%
  • 40.7%
  • 7%
  • 6.2%
06/02/2017
Qual a sua opinião sobre a qualidade do serviços prestados pelo SAAE em Jacareí?
  • 34.1%
  • 31.9%
  • 24.1%
  • 9.9%
Logos e Certificações: