Publicidade
Sábado, 24 de Julho de 2021 | você está em »principal»Notícias»Geral
Publicado em 05/06/2021 às 14h00
O desfralde e a higiene natural da criança
A Redação / Assessoria de Imprensa
Ilustração
Ilustração
Deve haver um cuidador à disposição do bebê com muita paciência e dedicação

O desfralde é uma importante fase na vida da criança e dos pais, por isso é essencial que se respeite o tempo individual para que seja um período livre de traumas. É um dos primeiros passos rumo à autonomia, além de um momento de descobertas – tanto de suas capacidades, como do seu próprio corpo.

O funcionamento urinário e intestinal depende de um amadurecimento neurológico e esse processo não pode ser acelerado. Além disso, existe o amadurecimento psicológico, que não é necessariamente alcançado junto com o neurológico. Acredita-se que por volta dos 2 e 3 anos de idade a maioria das crianças esteja em uma etapa do desenvolvimento adequada para iniciar o treinamento de controle do cocô e do xixi, isto é, tem as habilidades necessárias para isso.

De acordo com a pediatra Adriana Monteiro Pires, presidente do Departamento de Pediatria Ambulatorial e Cuidados Primários da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), a identificação da hora certa para começar o desfralde ocorre a partir da observação dos sinais emitidos por cada criança. “Ela deve apresentar bom desenvolvimento neurológico, andar, falar e ter o corpo mais firme, com estabilidade. O sinal mais característico é quando a criança começa a anunciar que irá fazer xixi e/ou cocô”, afirma a médica.

Método de higiene natural estimula
debate e conta com muitos adeptos

O método da higiene natural vem sendo discutido e conta com muitos adeptos. Ele consiste em atender às necessidades de evacuações do bebê e dar uma assistência de banheiro desde o nascimento, podendo ser utilizado em qualquer idade. “Os pais e cuidadores devem ficar atentos aos sinais que o bebê emite para auxiliá-los na evacuação e micção, coletando a urina e as fezes em um penico, por exemplo. Famílias adeptas do método dispensam fraldas na maioria do tempo”, diz a pediatra Adriana Monteiro Pires, presidente do Departamento de Pediatria Ambulatorial e Cuidados Primários da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP).

Para isso, deve haver um cuidador à disposição do bebê com muita paciência e dedicação. Os bebês podem fazer xixi quando estão dormindo e, quando em aleitamento materno, podem evacuar a cada mamada, muitas vezes já “capotados” de sono. Já nos mais velhos, segundo Adriana, esse método pode causar estresse, já que com certeza muitos escapes acontecerão. “Vivemos em sociedade na qual não podemos fazer nossas necessidades fisiológicas em qualquer lugar!”, enfatiza.

Na higiene natural, alguns pontos merecem uma atenção especial. A questão ambiental, financeira e emocional, por exemplo: cada bebê pode evacuar em média de 6 a 8 vezes ao dia em seu primeiro mês de vida. “Isso gera uma enorme quantidade de fraldas descartáveis. Mesmo usando fraldas de pano, teria o gasto de água para lavá-las”, avalia Adriana, ressaltando que é essencial que os pais se informem sobre o método antes de tentar usá-lo nos filhos.

“Conversar com o pediatra e explicar como está a adaptação da criança é essencial. E sempre lembrar que cada criança tem o seu tempo e, às vezes, o que funciona para uma, não funciona para a outra”, conclui a especialista.

 
Relacionadas
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

24 JUL
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Notícias
facebook
Blogs
Publicidade
Logos e Certificações: